Idioma:

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Você controla o seu mundo ou o mundo te controla?




Afinal, por que controlamos as pessoas?

“A pior de todas as ambições é a de possuir outro indivíduo. Na verdade, isso é tão comum entre nós que passou a ser encarado como algo correto e adequado. Quantas pessoas entre seus amigos e parentes você pode dizer que são livres? Quantas estão ligadas ou são influenciadas, ou controladas por outro ser humano? Quantas são as que podem dizer que dia a dia, mês a mês, ano a ano: Obedeço apenas aos ditames de minha Alma?”
Dr. Edward Bach

Seja o capitão de seu navio!



Por que deixamos as pessoas conduzirem a nossa vida?
Se você não consegue dirigir sua vida com sua própria energia, com sua própria idéia certamente cruzará com alguém que dirá como você deve conduzi-la.
Desenvolvendo a autoridade real:
A autoridade real é a autoridade interior.
Essa autoridade parte de uma união com a sua sabedoria interna integrada ao propósito espiritual elevado com a vida real e o trabalho na Terra. 
Isso significa tomar as rédeas, assumir os erros, encarar dificuldades. É quando comandamos nossa própria história sem influências externas.
Algumas pessoas chegam a terra com a tarefa de desenvolver essa autoridade. Nasceram subservientes, são pessoas que deixam que pai, mãe, marido, atrapalhem o fluir de sua própria história.
Abdicaram de sua história pessoal em prol de terceiros. E sofrem muito com isso. O trabalho maior consiste no envolvimento com outros semelhantes sem perder a própria individualidade. É necessário presença e autoconfiança no caminho. Toda alma humana tem dentro de si a capacidade de brilhar como o Sol, mas muitas delas sofrem da incapacidade de emanar esse poder solar de maneira equilibrada.
Dr. Bach descobriu excelentes essências florais para desenvolver essa autoridade verdadeira. Ele enquadrou essas almas em um grupo que denominou:  “ Pessoas que sofrem de suscetibilidade a influência e opiniões”.
Mas ele também estudou o lado oposto. Afinal, quem são esses controladores? E porque eles controlam as pessoas?
Ele identificou 05 tipos diferentes de controladores e denominou esse grupo de “Controladores”.
Algumas pessoas nascem com uma capacidade natural de liderança, porém ao invés de emanar uma liderança saudável acabam se deixando arrastar por um desejo incontrolável de modificar o rumo da vida de outras pessoas. Para toda ação consiste uma reação, essas pessoas pagam o preço em desarmonia pessoal por interferir carmicamente na vida de terceiros.
Alguns se tornam o exemplo e nada pode estar em desalinho. Sua vida, armários. Pretendem demonstrar para a humanidade a perfeição através de sua vida e tornam-se aborrecidos. São os “certinhos”. São pessoas entediantes, porém não dão ordens diretas. São o exemplo da perfeição.
O segundo tipo é aquele que é um entusiasta, e deseja arrastar todos para o seu estado de euforia. São líderes, doutrinadores e gastam horas tentando converter através da palavra.
Temos também o tirano, aquele que simplesmente dita  ordens no ambiente. Tudo tem que ser de seu jeito. Normalmente, ninguém ousa desobedecê-lo, tamanha é a sua tirania.
E o crítico que impera em nossa sociedade atual. Aponta falhas alheias com a maior naturalidade e esquece que ninguém pode se colocar na posição do Criador para analisar e julgar os seus semelhantes.
Deixei por último o tipo que parece  o mais brando dos controladores, porém , é muito tóxico, pernicioso, pois controla com sua chantagem. São os mais carentes! As mães que procuram deixar seus filhos em torno dela com suas comidas preferidas, e que se não conseguem seu intento irrompem em lágrimas se lamuriando e mencionando do tempo que desperdiçaram com seus filhos e parentes. E aí nesse tipo encontramos ao seu redor todos aqueles subservientes que não conseguiram sair das teias de sua chantagem. Sofrem por isso!
Em ambos os casos o Dr. Bach se dedicou com amor e carinho. Afinal, estando de um lado ou do outro, estamos todos aprendendo.
Não controlar e não se deixar controlar é assumir a neutralidade diante de falhas alheias, é assumir também com responsabilidade todos os desafios que se apresentam.

Cito agora duas essências para ambas as situações, porém é importante sinalizar a importância de um terapeuta para associar outras essências que ajudarão no processo de cura:

Chicory
(Cichorium intybus)



 A pessoa do tipo CHICORY tende a se tornar extremamente possessiva com relação aos outros. Gosta de manter aqueles aos quais está ligada ao seu redor, controlando e dirigindo suas vidas (normalmente em proveito próprio), bem como de criticar o modo como estes fazem as coisas. Usufrui do sentimento de propriedade e do poder que tem sobre os outros, tirando partido da simpatia destes; fala muito em "dever", especialmente o dever com relação a ela. Eis uma típica observação de pessoa do tipo CHICORY: "Pense em tudo o que passei por você; pense em tudo o que fiz por você." Quando a pessoa do tipo CHICORY não consegue impor sua vontade, torna-se impaciente, martiriza-se e, no caso de ser do sexo feminino, normalmente irrompe em lágrimas pela ingratidão demonstrada para com ela. Outro exemplo guardado em nossos arquivos: "Fica muito contrariada quando não recebe a atenção que julga merecer.
O resultado positivo dessa essência é: Amor altruísta doado livremente, respeitando a liberdade e individualidade dos outros.

Centaury
 (Centaurium umbellatum)




As pessoas do tipo CENTAURY são quietas, às vezes tímidas, dóceis, carecem de individualidade e estão sempre dispostas a fazer o que quer que seja pelos outros. São submissas, facilmente domináveis, tornando-se, com freqüência, presas de indivíduos inescrupulosos que tiram partido de sua boa índole. São os "capachos" que normalmente acabam sendo objeto de uso e abuso por parte dos outros, por não terem força de vontade para recusar esse papel; reforçam, dessa forma, o poder do dominador.
As características positivas da pessoa do tipo CENTAURY são encontradas naqueles que servem com sabedoria, serenidade e discrição. São as pessoas que sabem quando dizer sim ou não. São aqueles que conseguem misturar-se com seus semelhantes sem perder a própria individualidade e que tem a força necessária para sustentar as próprias opiniões e seguir as diretrizes superiores de seu eu profundo. Eles conseguem cumprir sua missão na vida sem se deixar influenciar pelas opiniões alheias.


Márcia Correia Figueiredo
Terapeuta Floral
Astrologia com abordagem psicológica
Radiestesia
Programação Neuro-Linguística
Alimentação Natural
Fitoterapia
www.marciafloral.com













Nenhum comentário: